Não basta “ser seguido”, tem que participar!

21 jul

Para se dar bem nas “mídias sociais”, basta colecionar seguidores no twitter? Ou apenas conseguir milhares de “curti isso” no Facebook? Não é bem por aí…

>> Há mais ou menos duas semanas a banda The Killers postou a mensagem acima em sua página no Facebook. Milhares de fãs “curtiram” (isto é, clicaram no botão “I Like This”) a mensagem. A ideia era revelar a capa do novo disco assim que um tal número de “I Like This” fosse atingido. A banda mobilizou os fãs, ok, mas isso é um exemplo de bom uso das redes sociais? Muitos seguidores foram adicionados em menos de uma semana, mas quantos deles vão voltar à página para interagir com a banda depois?

Dois sites publicaram dicas de como uma marca/empresa/banda deve usar as redes sociais eficientemente. A estratégia do The Killers, mesmo não tendo sido citada, entra na categoria: EVITE. =) Resumimos abaixo algumas dessas dicas:

>> O site Mashable se concentrou no “como fazer com que sua empresa se dê bem no twitter”. Adaptando para nosso universo musical, fica mais ou menos assim:

  • Escolha o público alvo: não adianta sair por aí adicionando todo mundo. Escolha uma minoria “influente” na sua área, veja quem eles seguem e por quem eles são seguidos.
  • Entenda como eles se comunicam: estude como seu público alvo se comunica. A linguagem que os seus fãs usam, sobre o que falam e o que compartilham. Procure saber o que falam da sua banda/empresa, reflita sobre as críticas, analise as perguntas, etc. O que eles mais retuitam, os links que postam, as hashtags que eles usam.
  • Defina uma abordagem: tudo o que você escrever, retuitar e linkar, deve ser feito pensando no seu público alvo. Seja dedicado, preciso e autêntico. E… interaja. Sempre. Tente responder, opinar e questionar para que seus seguidores respondam a isso naturalmente, não só quando você faz “promoções online”.

>> Um outro artigo no site Hypebot complementa o raciocínio:

Eles pedem aos artistas que parem de querer conquistar a todo custo uma legião de seguidores e simplesmente parem para ouvir o que os seus fãs querem. “Os artistas estão usando as redes sociais como um simples meio de divulgação e perdendo o foco. Sites como twitter e facebook deveriam ser usados como meios de comunicação e aproximação entre artista e fã!

Questionando e conversando com os fãs o tempo todo, a interação fica mais pessoal e relevante, acredita Kyle Bylin, autor do artigo.

“É melhor se comunicar bem com um pequeno grupo de pessoas que estejam interessadas e engajadas, que falar ao vento para milhares de pessoas que nem estão lendo o que você escreve!”

>> POST RELACIONADO: Já discutimos isso há algum tempo, em um outro contexto. Em um post, questionamos o poder de escolha na era digital. O conceito é o mesmo… Os artistas devem se preocupar menos com as músicas que são baixadas ilegalmente, e mais com os motivos que levaram um fã a baixar aquela música em especial. Deveriam se preocupar menos com a quantidade de seguidores que têm no twitter, e mais com o que eles têm a dizer!

>> Para ler mais:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: