Tag Archives: Facebook

MUSIC.WITH.ME >> será que vai pegar?

15 dez

Depois de inventarem todos os joguinhos (irritantemente) possíveis no Facebook, finalmente alguém decidiu criar um app relacionado à música! Ainda não é um app dos sonhos, mas pode abrir as portas para outros aplicativos mais criativos!

*Screenshot do vídeo de apresentação

Ainda em fase de teste, o aplicativo Music WithMe possibilita que o usuário conecte sua conta do Facebook com a sua biblioteca do iTunes, podendo assim, compartilhar suas músicas preferidas com todos os seus contatos. Através de mensagens privadas ou recados no “mural”, você pode publicar suas playlists e pastas da biblioteca, como as “mais tocadas” ou as “Top 25”: basta um link. E 30 segundos.

Sim, é um “preview”/um “teaser”, e não uma audição completa. Segundo o site do programa, “eles não querem ser um Napster”, e para não violar qualquer lei, estão negociando com o iTunes “90 segundos de previewing” por link. Clicando no link, o amigo poderá ouvir um trecho da música e/ou fazer o download (pago).

Music WithMe não é um Napster e não queremos ser. O Napster era tão moralmente questionável quanto era inovador. Era tão injusto com os artistas quanto era conveniente aos usuários. Era tão vulnerável a processos quanto era estimulante.

Nós estamos trabalhando com os artistas, selos e gravadoras para facilitar a comunicação com os fãs, promovendo a distribuição digital. Estamos fazendo tudo isso de acordo com a lei.”

O tom politicamente correto até assusta, mas a empresa faz questão de afirmar que a postura é apenas para proteger o interesse dos artistas.

>> Assista ao vídeo de demonstração do aplicativo MUSIC WITHME:

>> No site, o aplicativo para smartphones e androids já está disponível para download:

>> A ideia, obviamente, é não só estimular o compartilhamento de arquivos, mas também, a compra digital de músicas avulsas, movimentando o mercado de música. SERÁ QUE PEGA??

>> LINKS:

Anúncios

Volkswagen & o prazer em dirigir

18 jun

A Volkswagen pergunta na nova campanha do GOLF: “o que aconteceu com aquela voltinha do domingo?”

Na campanha canadense da Volkswagen, a intenção é fazer com que os consumidores se lembrem do vínculo emocional que existia entre o motorista e o ato de dirigir. Nada de trânsito pesado, stress de engarrafamento, dirigir do trabalho pra casa e vice-versa, dirigir de A só porque tem que se chegar a B e nada mais.

Quando foi a última vez que você dirigiu só por diversão? Que pegou a estrada só para dar uma volta com o som bem alto, cantando com a janela aberta?

Para ilustrar essa idéia e promover o novo GOLF, a marca criou uma campanha digital chamada “Remix Road”, que permite que os visitantes compartilhem suas “voltinhas de domingo”. No site, os usuários poderão remixar vídeos e músicas antigas, além de dividirem seus próprios vídeos e músicas de passeio via Facebook e Twitter!

Ao acessar a página, você encontrará uma pequena “picape” (abaixo) para interagir com a campanha musicalmente. Esse vinilzinho com o logo da VW, à esquerda, pode ser movimentado com o mouse para fazer um “scratch” e todos os botõezinhos têm um efeito diferente!

>> Para experimentar:

VOLKSWAGEN – CANADÁ

Mentos: Quanto mais “fresco”, melhor

28 maio

Nos E.U.A.: Mentos quer achar novos talentos. Novíssimos. “Fresquinhos”.

Depois de centenas de vídeos no YouTube com experiências que envolviam suas balas, a Mentos resolveu usar essas ferramentas a seu favor. Um aplicativo foi criado no Facebook para que usuários façam o upload de seus trabalhos: música, arte (desenho ou foto) e vídeo.

Vale qualquer coisa, contanto que seja autoral e NOVO. Ou, “Fresco”, como diz o slogan: “O que é Fresco é melhor”. As contribuições foram divididas em “Fresh Art”, “Fresh Music” ou “Fresh Video”. Para participar, basta “curtir” (linguagem do site, vocês entendem…) a página no Facebook, tornar-se fã da marca e abusar da criatividade.

Claro, todos os uploads devem ser relacionados ao Mentos ou ao sentimento que uma goma de mascar Mentos provoca(ria) em você: é estimulante, revigorante, etc. Os trabalhos serão divulgados pela marca e julgados pelos usuários do Facebook.

>> Campanha: MENTOS – Fresh Goes Better. BECOME A FAN

Mais é Menos: O poder da escolha na era digital

28 maio

Diante de tantas opções, como você escolhe o que comprar? Ou o que ouvir? O que ou quem te influencia na hora de decidir?

O Paradoxo da Escolha, Barry Schwartz – foto Design Post

Kyle Bylin, do site Hypebot, questionou em um post a teoria do livro acima (de que a “cultura da abundância” se tornou mais um problema que uma solução) e propõe um debate interessante: a mudança de foco.

Ao se preocupar se as pessoas irão comprar uma música ou baixá-la ilegalmente, uma gravadora (e/ou artista) está deixando de lado a questão mais relevante, que é: “em primeiro lugar, o que fez um fã escolher aquela música em especial”? Por que, com acesso a tantos produtos, artistas e músicas, ele escolheu “aquela”? Seja para baixar ou comprar, o que o levou até ela?

*Foto do Flickr Encrpyed Memories

Uma das respostas, em forma de artigo, foi a do radialista e jornalista Reid Benditt. Ele acredita que, em tempos de iTunes, Facebook, Spotify e similares, vai sair na frente quem admitir primeiro que “o compartilhamento de músicas vai, no fim, salvar a indústria musical”.

Sharing Is Caring, do Flickr Encrpyed Memories

Traduzimos (livremente) abaixo alguns trechos da resposta do radialista, que complementa a idéia dos nossos últimos posts: música une, inspira e influencia. Por Redi Benditt:

“Você sabe qual a forma mais eficiente, barata, antiga e desejada de propaganda?

É o boca-a-boca. E graças ao mundo digital, estamos muito mais próximos dessa ideologia de agência de publicidade. O Facebook é um meio de propaganda legítimo, e as palavras de blogueiros valem tanto quanto às dos nossos amigos. Não existe mais “nós” (consumidores) x “eles” (anunciantes). Somos praticamente um só, e se quisermos tirar alguma coisa desse zoólogico digital, teremos que criar nossos próprios filtros de conteúdo. Você e seus amigos irão salvar a música.”

>> Amigos: “Em quem você confia na hora de decidir? Blogs de música, sites de relacionamentos, estações de rádio? Eu confio nos meus amigos de carne e osso. Se não fosse por eles, eu não teria Ra Ra Riot e Raveonettes no iPod.”

>> Comprar, Ouvir, Compartilhar: “Estamos caminhando para um futuro que é um retorno ao passado: amigos compartilhando música abertamente. Spotify, Facebook e iTunes estão preparando algo grande, que acredito, vai ser o padrão para compra, compartilhamento e audição de música. A integração desses três serviços será monumental. O iTunes é a loja, o Spotify o caminho, e o Facebook a máquina do hype. Essas três indústrias são líderes no que fazem, mas ainda não há um cruzamento entre elas.”

>> iTunes + Facebook = Spotify: “Por enquanto, o iTunes é a loja onde você entra e está cada um na sua. Facebook é um café onde as pessoas estão falando sobre entretenimento e sobre aquilo que importa a elas. Coloque o povo do Facebook nessa lojinha do iTunes e de repente, as pessoas se misturam! E daí, você traz seus amigos e eles se misturam também e todos compartilham as músicas de que gostam. Adicione a isso a acessibilidade do Spotify e você tem o potencial de um império online!

>> Exemplificando: Não conseguiu imaginar como a integração de três poderosas ferramentas pode salvar a música? Aqui, em vídeo, um tour pelo tão sonhado “império musical” do Spotify:

ps: para ler na íntegra os dois textos que originaram esse post, basta clicar nos links.

%d blogueiros gostam disto: